segunda-feira, 16 de março de 2009

Jarboe - 15 Junho Santiago Alquimista


Uma boa notícia: A Jarboe (dos saudosos Swans) vem novamente a Portugal para um concerto no Santiago Alquimista. É a 15 de Junho. Sim ainda falta muito tempo, mas a Jarboe é a Jarboe.
Se o concerto for na mesma linha dos anteriores, o público será fustigado com a intensidade das muy negras letras das obras de arte de Jarboe.
Um concerto, sem dúvida, a não perder!

Aqui fica a música "Lavender Girl" do álbum "Sacrificial Cake".


terça-feira, 10 de março de 2009

The Sisters of Mercy - 16 de Março Coliseu de Lisboa

É já para a semana (16 de Março) que os Sisters of Mercy voltam ao Coliseu de Lisboa.
É pena que seja numa segunda-feira, mas espero estar presente.
Para quem puder, depois do concerto, há uma after-party no Metropolis.

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

R.I.P. - Lux Interior (21/10/1946 - 04/02/2009)



Notícia Blitz:
"Figura histórica do rock americano, que também deixou a sua marca nos palcos portugueses, tinha 62 anos.

Lux Interior, líder dos norte-americanos Cramps e uma das mais extravagantes figuras do rock, morreu ontem, 4 de Fevereira, vítima de complicações cardíacas.

Num comunicado oficial, os representantes da banda, que há menos de três anos estiveram em Paredes de Coura, afirmam: "Lux era um frontman destemido que transformava qualquer palco que pisasse num sítio de paixão, abandono e verdadeira liberdade. Era um autêntico ícone, cuja falta será imensamente sentida".

De verdadeiro nome Erick Lee Purkhiser, Lux Interior fundou os Cramps com a mulher, Poison Ivy, no começo dos anos 70. A banda, que misturava punk, rockabilly, garage rock e surf music, mantinha-se activa desde então. How To Make A Monster , o mais recente álbum, data de 2004.

Além do concerto em Paredes de Coura, os Cramps estiveram em Lisboa em 1998, para um badalado espectáculo no Campo Pequeno. Contam os relatos da época que Lux Interior deixou, literalmente, a sua marca no palco, ao escavar um buraco com o tripé do microfone e abandonar o "local do crime" por esse mesmo túnel improvisado".

Os Cramps são uma das bandas que sempre mais gostei, tendo toda a sua discografia, incluindo o DVD "Live at mental state hospital". Infelizmente nunca os vi ao vivo.

R.I.P. Lux.

Página Oficial: http://www.thecramps.com/

Vamos recordar o video de "Bikini Girls With Machine Guns":



segunda-feira, 10 de novembro de 2008

Jarboe - Mahakali



O novo álbum de Jarboe, "MAHAKALI" (Kali é o feminino de " kala" - "darkness" , Maha significa "great") é uma referência à Deusa Hindu da morte e da destruição, tal como está mencionado no Mahabarata e em outras epopeias Hindus.

O Mahabarata é, sem dúvida, o texto sagrado de maior importância no hinduísmo. A obra discute o tri-varga ou as três metas da vida humana: kama ou desfrute sensorial, artha ou desenvolvimento económico e dharma - a religiosidade mundana que se resume em códigos de conduta moral e rituais, obrigatórios para quem deseja o desfrute e o poder económico que adquire o desfrute.

Além dessas metas mundanas, o Mahabarata trata de moksha ou a liberação do ciclo de tri-varga e a saída do samsara, ou ciclo de nascimentos e mortes. Por outras palavras, é uma obra que visa o conhecimento da natureza do "eu" e a sua relação eterna com toda a criação e aquilo que a transcende.

O Mahabarata estabelece os métodos de desenvolvimento espiritual conhecidos como karma e bhakti, firmemente adoptados pelo hinduísmo moderno. (Ver Wikipedia)

Sobre o álbum em si, "Mahakali" é o sucessor do aclamado "The Men Album" de 2005 e, a meu ver, é um dos álbuns do ano. Aliás, já o "The Men Album" foi, para mim, um dos álbuns de 2005.
Logo na primeira música, "Mahakali, Of Terrifying Countenance", podemos ter uma antevisão dos restantes 70 minutos do álbum: assombroso, atmosférico, negro, tenso, profundo, espiritual, viciante...
A envolvência negra e assombrosa já é apanágio de Jarboe e em "Mahakali", a atmosfera é impressionantemente negra. E profunda, diga-se.
Em termos de escrita, "Mahakali" têm algumas diferenças relativamente ao que é habitual em Jarboe. Se antes a sua escrita incidia, fundamentalmente, sobre os seus sentimentos pessoais, "Mahakali" conceptualiza o que Jarboe pensa da própria condição humana. A simbologia ligada a Mahakali (que, como foi referido anteriormente, significa literalmente Grande Kali) representa na perfeição o que se passa no mundo de hoje, o caos que existe. A Deusa Hindu é uma figura matriarcal, mas é sempre retratada num estado bélico, numa dualidade criação/destruição.

Um álbum tenso, com uma variação vocal maior que a habitual, muito profundo... Um álbum, sem dúvida, OBRIGATÓRIO para os fãs de Jarboe, Michael Gira e dos saudosos Swans.

De salientar é a participação de Phil Anselmo (Pantera) em "Overthrown" e de Attila Csihar (Mayhem) em "The Soul Continues".

No início do post, fica um aperitivo (para ouvir de luzes apagadas e com velas acesas... sem estar a fazer mais nada... apenas a ouvir Jarboe)... arrepia, não arrepia?

Página Oficial Jarboe:
http://www.thelivingjarboe.com

MySpace Oficial Jarboe:
http://www.myspace.com/jarboeliving

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Sigur Rós - 11 de Novembro no Campo Pequeno


Os Sigur Rós, voltam a Portugal dia 11 de Novembro no Campo Pequeno para apresentar o seu mais recente álbum "Með suð í eyrum við spilum endalaust".
Nunca tive a oportunidade de os ver ao vivo e não me parece que é desta que vou conseguir...

O concerto está marcado para as 21 horas e o preço dos bilhetes varia entre os 30€ (plateia) e os 35€ (bancada).

Os adeptos da compra de bilhetes online podem fazê-lo aqui:
http://www.plateia.iol.pt/compras/comprar_seleccao.php?id=3550


Página Oficial Sigur Rós:
http://www.sigurros.com

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Peter Murphy - Coliseu de Lisboa 1/11/2008


A 1 de Novembro de 2008, Peter Murphy volta a pisar o palco do Coliseu de Lisboa.
Peter Murphy tocou musicas transversais a toda a sua carreira, não apenas a solo como também como líder dos Bauhaus.

“Time has Got Nothing To Do With It”, “Marlene Dietrich´s Favorite Poem”, “I´ll Fall With Your Knife”, “Strange Kind Of Love”, “Cuts You Up”, “Huuvola”, “Deep Ocean, Vast Sea”, “Idle Flow”, "The Sweatest Drop" foram algumas das músicas interpretadas por Peter Murphy.
Sim, interpretadas... não apenas cantadas. Peter Murphy, em palco, vive intensamente e faz uma verdadeira performance. Um bom exemplo foi a interpretação de “Hurt” (dos Nine Inch Nails) .
Já no memorável concerto de Bauhaus em 1998 no Pavilhão Atlântico, Peter Murphy foi um verdadeiro performer. Não apenas um cantor.

O público foi presenteado com quatro músicas de Bauhaus ("Burning from the Inside," "She's in Parties", "All We Ever Wanted" e "Black Stone Heart", do último álbum "Go Away White") e uma improvisação com Bela Lugosi's Dead.

Foram mais de duas horas de música com 3 encores.
O concerto culminou com “All Night Long” interpretado de uma forma única.

O público ficou ainda a saber que o último álbum de Peter Murphy já se encontra concluído, sendo que foi produzido através de financiamento próprio, sem recurso a editora. Isto porque Peter Murphy não queria "limitações" impostas pela editora.

Ficamos a aguardar o novo álbum!

Um concerto memorável e nostálgico com o Coliseu praticamente cheio.

Um dos bons momentos do concerto de Peter Murphy:


Site Oficial Peter Murphy:
http://www.petermurphy.info/intro.html

MySpace oficial Peter Murphy
http://www.myspace.com/officialpetermurphyspace